Varejão quer pódio nas Olimpíadas: ‘Vamos a Londres para buscar uma medalha’

Anderson VarejãoDesde que chegou ao Brasil, há cerca de três semanas, o ala-pivô capixaba Anderson Varejão só tem tido razões para comemorar. A primeira delas veio a cinco dias, com a convocação pelo técnico da seleção brasileira, o argentino Rubén Magnano, para o grupo que disputará as Olimpíadas de Londres, que acontecem de 27 de julho a 12 de agosto.

Aos 29 anos, ídolo do Cleveland Cavaliers, da NBA, ele faz parte de uma geração do basquete verde-amarelo que jamais viveu a experiência de representar o país numa edição dos Jogos, algo que não acontece desde Atlanta-1996.

 A segunda ele sentiu na pele, durante os treinos num clube da Barra da Tijuca em que até a namorada, Marcelle, se dispôs a pegar rebotes, para ajudá-lo: a mão direita já não dói.

Recuperado da fratura que o afastou das quadras nos últimos meses, ele agora não vê a hora de se apresentar à seleção brasileira, no próximo dia 10. “Se eu estiver 100%, como me sinto hoje, não tem como me impedirem de jogar as Olimpíadas”, garantiu nesta segunda-feira, após uma manhã de exaustivos exercícios numa cama elástica.

 A lista de Magnano pôs fim às especulações sobre as convocações de Leandrinho e Nenê, também da NBA e que pediram dispensa do Pré-Olímpico.

 Varejão, que teve de ficar fora do torneio por lesão, fez questão de enaltecer o brilho dos jogadores que reconduziram o Brasil às Olimpíadas após 16 anos de ausência, mas elogiou o treinador pela opção de levar a força máxima para Londres.

“É importantíssimo chegarmos com força máxima nos Jogos. E o essencial é que todos estejam bem fisicamente. Vamos a Londres para buscar uma medalha. A meta é brigar para ser campeão. Vamos atrás disso”, garante ele.

Embora conte com jogadores consagrados na NBA, no NBB e em campeonatos europeus, o ala-pivô alerta para o perigo de a mosca olímpica picar a nossa seleção e provocar estragos em quadra.

“A gente tem de chegar lá, em Londres, sabendo exatamente o que é disputar as Olimpíadas, para não se deslumbrar e esquecer de jogar basquete. Vai ser ótimo poder conviver com ídolos de outros esportes. Mas vamos lá para jogar o nosso melhor basquete”, ressaltou o gigante, que mede 2,11m, pesa 122kg e calça 48.

Anderson fica no Rio até o fim da semana e depois passa alguns dias no Espírito Santo.

Fonte: Gazeta esporte

Blog do Banana

Deixe seu comentário