Sport 0 x 0 Santa Cruz – Leão mantém a vantagem do empate para ser campeão

Num clássico bem disputado e equilibrado, Santa Cruz e Sport não conseguiram sair do empate em 0x0, no primeiro confronto das duas equipes na decisão do Pernambucano Coca-Cola. O resultado foi bom para o time rubro-negro que mantém a vantagem de jogar pelo empate no segundo confronto, no próximo domingo, na Ilha do Retiro, para ser campeão pernambucano. A equipe coral tentou de todas as formas reverter a situação, mas não teve poder de penetração e, por isso, criou poucas chances de gols para quem queria a vitória.

Como era esperado, o primeiro tempo do Clássico das Multidões foi equilibrado. O Sport entrou em campo sem o meia Marquinhos Paraná, vetado pelo departamento médico. Diogo Oliveira entrou  no seu lugar, reforçando a marcação. Na lateral-esquerda, Rivaldo foi improvisado. No Santa Cruz, Flávio Recife foi mantido no time, que foi a campo buscando o gol nos primeiros minutos.

A impetuosidade do Santa Cruz foi apresentada logo no primeiro minuto. Após uma roubada de bola, o artilheiro Dênis Marques recebeu, limpou a jogada e chutou. Longe do gol de Magrão. O Santa Cruz teve a primeira chance clara de gol aos sete minutos. Numa desatenção da defesa do Leão, Renatinho cruzou rasteiro, Magrão defendeu parcialmente, mas a bola sobrou para  Vágner, na entrada da grande área, que chutou para fora.

Depois dos dois lances, o Santa Cruz encontrou dificuldades para criar as jogadas ofensivas. Bem postado na defesa, o Sport fechou os espaços e tentou ir ao ataque nos contra-ataques. O problema do time rubro-negro era acertar o último passe. Os principais lances de perigo até então eram as cobranças de escanteios e faltas de Marcelinho Paraíba. Foi assim aos 14 minutos, quando o meia bateu uma falta da esquerda e encontrou Jheimy na segunda trave, livre. O atacante perdeu o tempo da bola e não conseguiu finalizar bem.

A partir dos 25 minutos, o Santa Cruz adiantou a marcação, não dando espaços para o Sport sair para o ataque. O time rubro-negro encontrou, realmente, dificuldades. Mas o Santa Cruz não encontrou espaços para penetração. Os lances de perigo foram chutes de Diogo, defendido por Magrão, e Luciano Henrique, que errou o alvo.

Nos minutos finais, o Sport criou a melhor oportunidade. Aos 40 minutos, após Rivaldo roubar a bola no meio, Jael dominou na área, de costa para o gol, girou e e chutou rasteiro. Tiago Cardoso fez grande defesa. Depois, Marcelinho Paraíba chutou de longe e o Camisa 1 do Tricolor defendeu.

Segundo tempo

Logo nos minutos iniciais, o técnico do Santa Cruz é obrigado a mexer na equipe. O volante Anderson Pedra se contunde e é substituído por Chicão. Aos 8 minutos, Luciano Henrique recebe na meia direita e arrisca o chute rasteiro. Magrão faz boa defesa. O Santa Cruz foi para cima, no abafa, enquanto o Sport manteve a cautela.

Aos 14 minutos, o técnico Mazola Júnior decide mudar o ataque. Jheimy foi sacado e Marquinhos Gabriel entrou em seu lugar. No primeiro lance, Marquinhos recebeu a bola e chutou rasteiro. Tiago Cardoso fez uma segura defesa.

A partida continuou com o Santa Cruz atacando em velocidade. Aos 20 minutos, Natan passou em velocidade por Edcarlos, foi à linha de fundo e cruzou. Dênis Marques mergulhou, mas não achou a bola, que passou rente ao gol de Magrão.

O duelo ficou truncado no meio de campo. Muitas faltas e poucos lances de emoção. Como o time coral buscou mais o ataque foi a equipe que mais sofreu faltas. O zagueiro rubro-negro Tóbi recebeu cartão amarelo e ficou indignado. Afinal, vai cumprir suspensão pelo terceiro cartão justamente na grande final.

O tempo foi passando e o Sport se fechou mais ainda. Apenas um lance de emoção mereceu registro pelo time rubro-negro. Aos 34 minutos, Rivaldo fez boa jogada individual na quina da grande área e Moacir, livre, cabeceou nas redes, mas pelo lado de fora.

Sem Natan, que foi substituído por Carlinhos Bala, o time tricolor perdeu a lucidez para trabalhar a bola no meio-de-campo. A equipe manteve a velocidade, mas faltou uma melhor organização. O jogo ficou bem disputado, mas feio, pois o Sport mantinha a proposta de jogo defensiva, com a nítida intenção de segurar o 0x0.

Para dar mais velocidade nos contra-atques, Mazola Júnior resolveu acionar Thiaguinho. Marcelinho Paraíba, que não jogou bem, foi o escolhido para deixar o gramado. E não gostou. Foi para o banco de reservas e sequer falou com o treinador.

Aos 46 minutos, o Sport teve uma boa chance para abrir o placar. Marquinhos Gabriel fez boa jogada individual e cruzou rasteiro. A bola ia chegar nos pés de Moacir, mas Renatinho mandou para fora. Na cobrança de escanteio, a zaga coral cortou, mas a bola sobrou para Tiaguinho na linha de fundo. Mas o jogador rubro-negro foi surpreendido pelo árbitro Neilson Santos, que apitou o final da partida.

Ficha técnica

Santa Cruz
Tiago Cardoso; Diogo, Vágner, William Alves e Renatinho; Anderson Pedra (Chicão), Memo, Luciano Henrique (Branquinho) e Natan (Natan); Flávio Recife e Dênis Marques. Técnico: Zé Teodoro.

Sport
Magrão; Bruno Aguiar, Tobi e Edcarlos; Moacir, Hamilton, Diogo Oliveira, Marcelinho Paraíba (Tiaguinho) e Rivaldo; Jheyme (Marquinhos Gabriel) e Jael. Técnico: Mazola Júnior.

Local: Arruda. Horário: 16h. Árbitro: Neilson Santos. Assistentes: Elan Vieira e Charles Rosa. Assistentes auxiliares: Anderson Freitas e Ricardo Jorge. Cartão amarelo: Edcarlos, Marcelinho Paraíba, Tóbi, Hamilton, Diogo e Carlinhos Bala.

Deixe seu comentário