Será que Petrolina tem condições de bancar uma campanha para governador? questionou Gabriel Menezes sobre aprovação de emenda em que o prefeito Miguel Coelho poderá gastar livremente, 40% do orçamento municipal

A bancada de oposição da Câmara de Vereadores de Petrolina-PE fechou questão na sessão desta terça-feira, 5, em não conceder os 40% de remanejamento na Lei Orçamentária Anual (LOA) para o prefeito Miguel Coelho (PSB) gastar livremente dentro do orçamento ano que vem.

Segundo o vereador Gabriel Menezes (PSL), autor da emenda que destina 20%o para o remanejamento, rejeitado pela maioria governista na Casa, o valor do remanejamento dos recursos do orçamento, com a permanência dos 40%, corresponde a R$ 330 milhões de um orçamento anual de aproximadamente R$820 milhões.

“Não seria correto com o povo de Petrolina conceder esse cheque em branco para o prefeito e num ano em que o pai do prefeito, senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB), pode disputar o cargo ao governo do estado”, disparou o oposicionista.

O parlamentar registrou que essa emenda foi a única que ficou fora do acordo com os governistas para a aprovação de todas as emendas da oposição á Lei Orçamentária Anual (LOA).

“Colocamos na reunião ontem em que fomos convocados pela Comissão de Finanças quando acordamos a aprovação das emendas da oposição que nessa emenda dos 40% manteríamos posição contrária, pois 20% já seriam suficientes para o prefeito gastar livremente. Será que Petrolina tem condições de bancar uma campanha para governador?, questionou Gabriel Menezes.

Blog do Banana

Deixe seu comentário