‘Se há indícios fortes, governadores devem ir’, diz Aécio sobre CPI

Aécio Neves e Sérgio Guerra (Foto: Katherine Coutinho / G1)O senador mineiro Aécio Neves (PSDB) chegou ao Palácio do Campo das Princesas, no Recife, sede do governo estadual, no começo da noite desta sexta-feira (18), acompanhado do presidente da legenda, o pernambucano Sérgio Guerra. Os dois foram recebidos pelo secretário estadual da Casa Civil, Tadeu Alencar, enquanto o governador Eduardo Campos não chegava de viagem à Fortaleza, no Ceará. Neves justificou a visita a Eduardo Campos à proximidade pessoal que tem com o pernambucano.

Antes do encontro com Campos, Aécio falou com a imprensa. Perguntado se seria favorável a um acordo, na CPI do bicheiro Carlinhos Cachoeira, para não convocar os governadores de Goiás, Distrito Federal e Rio de Janeiro, ele mostrou-se contrário à proposta. “Achamos que se os indícios forem fortes, os governadores devem ir. Não apenas o de um partido, não apenas do PSDB, não apenas de um partido que tem minoria na Comissão, mas de todos os partidos. Mas a condução da CPI é daqueles que tem maioria. Propusemos, no início da sua formatação, a divisão do comando da CPI, para que pudéssemos ter a responsabilidade também na sua condução, como acontecia, na verdade, no passado. A oposição e a situação dividiam a presidência e a relatoria da CPI. A base do governo, resolveu se apropriar de todos os espaços e a responsabilidade pela condução da CPI é da base do governo”, criticou.

Apesar de ser uma visita de cortesia, o senador disse não descartar alianças entre PSB e PSDB. “Nós não vamos tratar hoje de uma questão futura, até por respeito ao governador Eduardo, mas sim de alianças pontuais. Em vários estados, o PSDB apoiará candidaturas municipais do PSB. No caso de Belo Horizonte, por exemplo, no caso de Curitiba e poderia citar muitas outras. E vice-versa, teremos apoio do PSB em centenas de cidades brasileiras. Tudo que é natural na política tem chance de ter êxito”, afirma.

A despeito da relação próxima que tem com Eduardo Campos, Aécio Neves não deixou de criticar o Governo Federal, a quem chamou de atrasado. “Eu vejo que não há, hoje, uma disposição clara do governo do PT em avançar nas grandes reformas, até porque a agenda de 12 anos atrás continua sendo a agenda de hoje”, disse Aécio, que veio ao Recife para participar do congresso PSDB Mulher, realizado esta noite em um hotel, em Boa Viagem.

Fonte: G1 PE

Blog do Banana

Deixe seu comentário