Preço da gasolina pode subir, após valorização do dólar

Dois dias após o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, ter afirmado que não haveria aumento no preço dos combustíveis neste ano, a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, anunciou que o reajuste será necessário para viabilizar o plano de negócios de US$ 236,5 bilhões da estatal para o período de 2012 a 2016.

“Este ano tivemos uma suave queda do Brent e uma relevante subida do dólar. Continuamos com a defasagem de preços que tínhamos quando o Brent estava a US$ 125 (o barril) e o dólar entre R$ 1,65 e 1,70. A defasagem (ante o preço internacional) continua próxima”, disse a presidente. Questionada sobre quando o reajuste seria aplicado, a presidente da Petrobras disse ainda não haver uma data. “Eu não posso dar uma data porque não tenho uma”, afirmou, na abertura do Fórum de Sustentabilidade Corporativa da Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável.

Segundo a presidente da Petrobras, o plano de negócios será detalhado em 25 de junho, para quando está agendada uma reunião com analistas e imprensa. Na quinta-feira (14), a Petrobras divulgou o plano, que prevê aumento de 5% nos investimentos no período, mas projeta para 2016 uma produção 15% menor que o previsto no ano passado para 2015. Segundo analistas ouvidos pela agência de notícias Reuters, sem a contrapartida de um aumento nos preços dos combustíveis ou de aumento de fluxo de caixa, a estatal encontrará dificuldades para manter suas contas equilibradas.

Dois dias antes, o ministro Lobão havia negado a possibilidade de reajuste. “Nós não cedemos à pressão de reajustar quando o preço do petróleo subiu, e agora não há mais esta pressão”, disse na ocasião.

Fonte: Folha de Pernambuco

Blog do Banana

Deixe seu comentário