Pela primeira vez, presos são imunizados durante a campanha de vacinação contra a gripe

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, lançou hoje (5) no Rio de Janeiro a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, com a meta de imunizar cerca de 24 milhões de pessoas. Além das pessoas com 60 anos ou mais, estão incluídas no grupo prioritário que receberá a imunização as gestantes, crianças de seis a 23 meses, a população indígena e profissionais de saúde.

De acordo com Padilha, este ano a campanha inclui pela primeira vez a população que vive em penitenciárias.

“Trata-se de um grupo com alta prevalência e risco mais elevado de ter várias doenças respiratórias. Ao proteger esse grupo, também estamos protegendo o conjunto da sociedade, pois bloqueamos uma cadeia de transmissão da gripe para quem visita esse grupo, para os familiares dos funcionários das penitenciárias, quem possa ter contato com um trabalhador ou com um visitante.”

No lançamento da campanha, o ministro vacinou uma grávida e um idoso. Depois, o secretário municipal de Saúde e Defesa Civil, Hans Dohmann, vacinou Padilha, na Clínica da Família Otto Alves de Carvalho, em Rio das Pedras, na zona oeste.

Em todo o Brasil, cerca de 65 mil postos de vacinação funcionarão até as 17h de hoje em unidades de saúde, escolas, shoppings, clubes, igrejas e escolas. A campanha vai até 25 de maio.

“Em 2011 reduzimos em 66% o número de óbitos provocados pela gripe H1N1 e reduzimos em 44% a internação de casos graves. E nosso esforço é continuar esse caminho”, destacou o ministro. Ele adiantou que, embora a meta seja atingir 80% do público-alvo, recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o ministério disponibilizou mais de 30 milhões de vacinas para alcançar a maior cobertura possível.

Marcela Fernandes, 23 anos, está grávida de nove meses de seu primeiro filho e ficou sabendo da campanha pela televisão e por uma profissional de saúde. “O bebê está previsto para nascer hoje mesmo, por isso vim correndo, pois acho muito importante.”

O aposentado de 80 anos, Paulo Gouvêa Lobão, disse que toma a vacina da gripe desde os 65 anos e que desde então nunca mais teve gripe. “Nem nunca tive reação nem nada. Sempre fui muito bem atendida. Eu recomendo”.

No Rio de Janeiro, a prefeitura pretende vacinar, pelo menos, 80% de cada um dos grupos prioritários, cerca de 960 mil pessoas.

À tarde, o ministro participará da campanha de vacinação contra a gripe em Porto Alegre (RS).

Fonte: Agência Brasil

Blog do Banana

Deixe seu comentário