Obama ordenou criação do vírus Stuxnet, diz NYT

O presidente dos EUA, Barack Obama, ordenou ciberataques ao Irã com o vírus Stuxnet, com o objetivo de atrasar o desenvolvimento do programa nuclear do país, de acordo com uma reportagem do jornal The New York Times.

O veículo, citando fontes anônimas, informou que, nos primeiros dias de sua presidência, Obama acelerou os ataques, como forma de manter os esforços iniciados na administração de George W. Bush. O malware, que por muito tempo era creditado a Israel ou aos EUA, escapou dos computadores iranianos em 2010 e começou a infectar máquinas por toda Internet.

Obama considerou interromper os ataques depois que o Stuxnet começou a comprometer outras máquinas, contudo decidiu continuar com o programa, de acordo com o jornal. O Stuxnet surgiu a partir de uma aliança entres os governos americano e israelense para frear o programa nuclear iraniano e, na reportagem, foram entrevistados oficiais de ambos os países que estão ou estavam envolvidos com o ciberataque, garantiu o Times.

Em julho de 2010, o Stuxnet foi descoberto por uma empresa de segurança da Bielorrússia, que detectou a o worm em computadores de um cliente iraniano. Há época, especialistas em segurança entraram em consenso e afirmaram que o malware tinha sido desenvolvido de maneira muito sofisticada, provavelmente por um governo, e que tinha sido feito para destruir algo muito grande, como o Bushehr, reator nuclear iraniano. Ao examinar o worm quando este foi descoberto, experts disseram que ele implantou seu código em sistemas com software da Siemens, depois de detectar um determinado tipo de dispositivo PLC (Controlador Lógico Programável, em tradução livre).

À época, Obama ficou preocupado com a possibilidade que o programa Stuxnet, com codinome Jogos Olímpicos, pudesse encorajar que outros países, terroristas e crackers utilizassem ataques similares, entretanto concluiu que os EUA não tinham outras opções disponíveis contra o Irã, detalhou o jornal. O objetivo dos ataques, conforme disse o Times, era obter acesso aos controles do computador industrial da usina nuclear de Natanz e, para isso, a Agência de Segurança Nacional dos EUA e uma unidade cibernética secreta israelense desenvolveram o Stuxnet.

Fonte: Uol

Blog do Banana

Deixe seu comentário