NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em resposta à carta vinculada pelo chamado “grupo dos 14” que prestam serviço de anestesia na região, o prefeito de Petrolina, Julio Lossio e a secretária de Saúde, Lucia Giesta vêm prestar os seguintes esclarecimentos:

O Hospital de Urgências e Traumas vem mantendo parceria acadêmica importante com a Univasf e, buscando melhorar a eficiência do serviço de traumato-ortopedia, realizou contratualização com a SOTE (Serviço de Ortopedia e Traumatologia Especializada), referência em atendimento na especialidade e em apenas 30 dias, melhorou efetivamente o atendimento prestado, revertendo o quadro de pacientes nos corredores do hospital que viviam permanentemente lotados à espera de cirurgias.

A citada clínica decidiu que não utilizaria o serviço da empresa de anestesia do citado grupo, segundo a total falta de compromisso do citado grupo com a realização dos procedimentos e, consequentemente, com a vida.

Dessa forma, o citado ‘grupo dos 14’ passou a falar em condições de trabalho tão somente após terem sido comunicados da necessidade de redução da prestação de serviço em decorrência do movimento de ortopedia representar cinquenta por cento do movimento do hospital e, por isso, não teria sentido pagar o mesmo valor pela execução da metade do serviço.

Em reunião conduzida pela secretária de Saúde, os representantes do citado grupo mostraram-se irredutíveis na construção de solução consensual e solicitaram o cancelamento do contrato existente. A imposição do grupo – que monopolizou e cartelizou o serviço de anestesiologia da região – querendo impor tabelas fora da realidade local, tem produzido insatisfação generalizada de cirurgiões, hospitais e planos de saúde. Como exemplo, basta observar o caso da Unimed, cuja essência é o atendimento realizado pelos cooperados, e que se viu obrigada a negociar com o ‘grupo’ uma tabela diferenciada em detrimento a todos os outros cooperados.

Vale ainda salientar que “6” destes profissionais, sócios da citada empresa, são servidores públicos e deverão permanecer prestando serviço ao hospital, salvo se desejarem se afastar do serviço público com que têm vínculo.

Assim sendo, não restou outra alternativa à direção do Hospital do que a contratação de novos profissionais que chegam à cidade com desejo de servir e não apenas de se servir dela, além dos vínculos de anestesistas cedidos pela Univasf decorrente da parceria que existe.

Quanto à estrutura interna do Traumas, sem falsa modéstia, desafiamos qualquer hospital da cidade, público ou privado, a apresentar estrutura melhor do que a que temos hoje. O Hospital de Traumas é a maior referência no atendimento de urgência e emergência nas áreas de neurocirurgia e ortopedia na região, habilitado para alta complexidade destes serviços.

A sociedade ainda é ciente de que muitos dos anestesistas do citado grupo são sócios dos hospitais privados e de maneira míope não desejam a melhoria do serviço público.

Como médico que sou, sei e reconheço a importância desses profissionais e de todos que trabalham por um atendimento com qualidade à população. Não descansarei para defender os interesses da população de Petrolina.

Temos procurado melhorar as condições de trabalho dos profissionais e oferecer dignidade no atendimento a população, a exemplo das AMEs, bem como a melhora da remuneração, conforme acordo firmado com o Sindicato dos Médicos.

Importante, porém, ressaltar que a Medicina e, consequentemente, a Saúde deve ser feita com médicos, mas não para os médicos.

Saúde deve ser feita para as pessoas e de modo especial para os mais simples e é isso que desejamos oferecer sempre, com a ajuda de Deus.

Julio Lossio – Prefeito

Lucia Giesta – Secretária de Saúde

Fonte: ASCOM PMP

Blog do Banana

Deixe seu comentário