Fiéis homenageiam padroeira do Recife

Fiéis homenageiam padroeira do Recife (Blenda Souto Maior/DP/D.A Press)

A segunda-feira é de homenagens à Nossa Senhora do Carmo, padroeira do Recife. Essa é a 316ª edição da festa em homenagem à santa. Já é grande a movimentação de fieis na Basílica do Carmo. Desde às 5h30 da manhã acontecem missas. As celebrações seguirão ao longo do dia.

Às 15h30, o arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido realizará uma missa campal no pátio da igreja. Logo depois, haverá a procissão pelas ruas do centro da cidade.

Parte da Avenida Dantas Barreto está interdita por conta da celebração. Mas, como é feriado, o trânsito nas imediações é considerado bastante tranquilo pela Companhia de Trânsito e Transporte (CTTU).

As primeiras celebrações datam do século 17, quando a Ordem do Carmo se estabeleceu na cidade. Na época, a santa era venerada em Olinda, onde os carmelitas ergueram o seu primeiro convento no Brasil. A devoção à Virgem do Carmelo cresceu aos poucos, sendo proclamada padroeira da capital somente em 1909.

O título de padroeira veio após uma campanha dos moradores da cidade. Entre eles se destacavam os comerciantes. A campanha começou em 1908. No dia 15 de julho do ano seguinte, o papa Pio 10 publicou o documento que concedia à Nossa Senhora do Carmo o título requerido pela população, contudo a festa religiosa continuou sendo no dia 16 de julho.

A devoção à santa ganhou força com a construção do templo. O projeto começou em 1665 com o capitão Diogo Cavalcanti Vasconcelos e demorou mais de um século para ficar pronto. O término, da hoje basílica, ocorreu em 1767. E a basílica, resume frei Rosivaldo Torres, é prova da devoção à Virgem do Carmo.

 

Fonte: Diário de Pernambuco

Blog do Banana

Deixe seu comentário