Esclarecimento em resposta às acusações feitas pelo grupo de médicos anestesiologistas sobre o Hospital de Urgências e Traumas

A Diretoria Médica e Administrativa do Hospital de Urgências e Traumas de Petrolina em resposta às acusações feitas pelo grupo de médicos anestesiologistas sobre a Instituição presta os seguintes esclarecimentos:

 Desde o rompimento do contrato com a empresa Anestesia e Serviços Médicos LTDA, os procedimentos cirúrgicos realizados no Hospital de Urgências e Traumas de Petrolina (HUT) estão acontecendo normalmente e em conformidade com as resoluções do Conselho Federal de Medicina (CFM).

 Atualmente 12 médicos anestesiologistas prestam serviços na unidade. Vale salientar que alguns destes profissionais, sócios da citada empresa, são servidores públicos e deverão permanecer prestando serviço ao hospital, salvo se desejarem se afastar do serviço público com que têm vínculo.

 Somente no mês de maio cerca de 340 cirurgias foram realizadas no HUT, sendo respeitadas todas as resoluções médicas que envolvem a realização do ato anestésico-cirúrgico, pós-anestésico e com um profissional para cada procedimento realizado. Destacamos a inconsistência da denúncia veiculada no dia 25/05 sobre a suposta ausência de médicos anestesiologistas no hospital e informamos que neste dia foram realizadas sete cirurgias e que quatro anestesiologistas prestavam atendimento à população, fato que podemos provar a qualquer órgão fiscalizador que assim o desejar.

 Em relação às condições da Sala de Recuperação Pós-Anestésica (SRPA) do HUT, ressaltamos que atendemos as exigências do CFM. Na SRPA os pacientes permanecem monitorados com todos os equipamentos necessários que garantem a segurança e bem estar dos usuários. Neste quesito, desafiamos qualquer hospital da cidade, público ou privado, a apresentar estrutura melhor do que a disponibilizada no HUT atualmente.

 A sociedade ainda é ciente de que muitos dos anestesistas do citado grupo são sócios de hospitais privados e não desejam a melhoria do serviço público. O Hospital de Traumas é a maior referência no atendimento de urgência e emergência nas áreas de neurocirurgia e ortopedia da Macroregião do Vale do São Francisco, abrangendo uma população de 53 municípios e realizando mais de dez mil atendimentos por mês.

 Em resposta às acusação de óbitos decorrentes de negligência na unidade destacamos que nenhum dos óbitos relatados na denúncia – feita de forma antiética ao expor as identidades dos pacientes, tiveram relação com ausência ou não de um médico plantonista na SRPA. Salientamos inclusive, que o óbito do paciente Vicente Lima dos Santos ocorreu no período em que a citada empresa prestava serviços de anestesia ao Hospital.

 Sobre a morte da paciente Celina Maria da Silva, 92 anos, esclarecemos que a paciente era de alto risco, tendo em vista sua idade e doenças associadas (Diabete e Hipertensão), além do procedimento a qual foi submetida ter sido de alta complexidade. É absolutamente improcedente a afirmação de que a paciente não teria feito exames pré-anestésicos, tendo em vista que, como consta no prontuário médico, a mesma realizou os exames laboratoriais e clínicos de rotina e foi submetida a uma avaliação cardiológica de risco cirúrgico.

 Informamos, ainda, que em reunião com o Ministério Público Federal todas as informações necessárias já foram prestadas ao Órgão e que o HUT está à disposição para dirimir qualquer questionamento que possa surgir.

 O Hospital de Urgências e Traumas busca garantir a todos os pacientes níveis de excelência na prestação de serviços de assistência à saúde, prezando pelo seu reconhecimento como instituição de referência e a ética nas realizações das condutas médicas e administrativas.

Att.,

 Anne Santana- Assessoria de Imprensa HUT

Blog do Banana

Deixe seu comentário