Carlos Augusto defende o negócio da China voltado para os jumentos com manejo adequado como a criação de bovinos

O radialista Carlos Augusto criou a Jecana há 41 anos para valorizar um dos símbolos do sertão brasileiro. Agora, defende que o jumento se transforme mesmo em material de exportação com um manejo adequado. Para tanto, vê com bons olhos o negócio que a China propôs ao Brasil: a compra de 300 jegues por ano.

Animado com a Jecana, o Blog entrevistou Carlos em sua residência na tarde de ontem. De acordo com ele, os animais podem gerar renda para diversas comunidades rurais do sertão brasileiro por meio da proposta chinesa. Para Carlos Augusto, é uma hipocrisia de um blogueiro de Petrolina sem informação argumentar que as vendas podem prejudicar a existência dos animais.

“Os jumentos vivem soltos, de qualquer maneira no Nordeste. Muitos acidentes de trânsito são causados por eles, que ficam circulando em rodovias à procura de alimentos. A única solução viável para acabar com isso é prendê-los em uma área específica, o que nunca fizeram. Com a ideia da China, a gente passa a ter uma política econômica para os animais que nunca ninguém pensou”, considera Carlos.

A Jecana deste ano irá contemplar os participantes com mais de 20 mil reais em prêmios. A 41º jecana dos jumentos acontece no povoado de Capim, em Petrolina, de 8 a 10 nesse final de semana.

Além da tradicional e divertida corrida, haverá o concurso Jegue Fashion, que premiará o jumento mais ornamentado. O forró também irá animar os participantes. Nomes como Joquinha Gonzaga, Joãozinho do Exu e Targino Gondim farão o forró do pueirão para ninguém perder o passo no forró.

Blog do Banana

Deixe seu comentário